Categoria: flores e plantas

Utilizar plantas na decoração, seja em casa ou no escritório, ajuda a deixar os ambientes mais bonitos, aconchegantes e harmoniosos. O contato com a natureza dentro de casa nos remete a uma sensação de pausa e distanciamento do nosso cotidiano urbano, criando nosso refúgio particular.

iga
Existem muitas espécies que se adaptam bem a ambientes internos e, havendo luz natural, as plantas combinam com qualquer ambiente da casa, sejam salas, quartos, cozinhas e até banheiro.

iga1

iga6

Mas, antes de escolher, é preciso se atentar às condições luz, temperatura e umidade de cada ambiente. Tente priorizar as áreas mais iluminadas e áreas que sejam mais próximas das janelas.
Cuidar de uma planta significa uma pausa no cotidiano agitado. O desenvolvimento dela acontece num ritmo próprio, distinto daquele do nosso dia a dia. 

iga8

As plantas sempre são boas opções, porque são vivas e se transformam, gerando formas inesperadas, diferente dos outros objetos de uma casa.
Nestes tempos de calor intenso, nem mesmo um arsenal de ventiladores ajuda a vencer as altas temperaturas. Mas já parou para pensar em como a decoração influencia nestes fatores? Os especialistas dizem para abrir mão dos tecidos quentes, apostar em tons claros, mas há uma solução que promete deixar a casa mais bonita e saudável: enchê-la de plantas.

iga2

iga3
Se você quer realmente deixar a casa fresquinha, não basta uma planta – é preciso ter um certo volume. Vale vasos de chão, criar um conjunto com tamanhos diferentes. Isso aumenta a umidade do ar devido a uma maior quantidade de vegetação.

iga5

iga9
As plantas transpiram pelas folhas, ou seja, quanto maior elas forem, mais umidade no ar, além de ‘segurar’ mais água na hora de regar. Por isso, borrife as folhas. Isso faz com que o ambiente fique mais úmido. Adeus, ventilador!

iga7

A tendência de ter plantas em casa, mesmo em apartamentos no alto de prédios urbanos, tomou conta do décor. Para ajudar na hora de levar o verde (e outras cores mais ousadas) para casa, criei post especial que lista várias ideias de arranjos, espécies ideais para muita ou pouca luz e estratégias para deixar seu jardim particular com ares fantásticos.

ig
Plantas pendentes trazem textura e cor aos ambientes, além de darem um upgrade instantâneo ao décor quando posicionadas sobre os móveis e prateleiras ou colocadas em vasos suspensos.

ig9

ig7
Inspiração nunca falta. Sejam eles minimalistas ou adeptos do “mais é mais”.

ig1

ig3

Ter plantas no quarto já foi considerado inadequado, mas essa teoria caiu por terra há algum tempo.

ig8
Vejam que as possibilidades são infinitas e há muitas outras que vão bem além dos tons de verde.
Escolha uma para chamar de sua ou invente uma mistura improvável – mais dentro da tendência “urban jungle”.

ig2

ig4

ig6

ig5

Uma das maiores preocupações nos dias atuais é cuidar do planeta, adotando técnicas de sustentabilidade para contribuir com a preservação dos recursos naturais. Para isso, há algumas atitudes que podem ser adotadas em casa como separar o lixo reciclável do não reciclável e reutilizar materiais em vez de descartá-los. E por falar nisso, um dos itens comumente usados em casa que pode ser reaproveitado é a garrafa de vidro – que levaria anos para decompor-se no meio ambiente.

recposta
Garrafas de vidro de todas as cores podem ser usadas para formar um lindo arranjo, basta retirar os rótulos e limpá-las por dentro e por fora.

recposta1

Para uma decoração mais moderna, vale a pena apostar em garrafas coloridas e com diferentes formatos. Caso prefira uma decoração mais tradicional, usar o mesmo modelo e cor de garrafa também consagra um belo arranjo.

recposta2
Que tal começar hoje mesmo a guardar suas garrafas e vidrinhos e deixar a sua casa com um toque ainda mais especial?
Reuni truques de decoração e artesanato para dar cara nova aos recipientes de vidro. Inspire-se!

recposta3

recposta4

recposta5

recposta6

recposta7

recposta8

recposta9

Achou que esse post pode ajudar alguém também? Compartilhe com eles! #VemProBlogKikaJunqueira

 

Em uma época em que quase não se vê mais áreas verdes nos centros urbanos, o jardim vertical chegou para modificar a paisagem, principalmente em ambientes pequenos, aplicando-se tanto em paredes internas quanto em muros externos.

Embora seja uma tendência atual, o paisagismo já era exercido na década de 1970 pelo famoso Roberto Burle Marx, onde ele usava orquídeas e bromélias, além de outros epífitos, através de formas sinuosas e desenhos orgânicos, características marcantes em seu trabalho.
Como em todos os jardins, o vertical também requer cuidados e manutenção periódica. Deve-se ficar atendo a escolha das espécies de plantas, dos substratos, irrigação (importantíssima, afinal, quando bem executada garantirá a saúde das plantas e ainda pode ser manualmente ou automatizada por gotejamento, dependendo do tamanho do jardim), fertilização, entre outras características.

VG1

VG

VG2

Para que o projeto tenha sucesso, é necessária a contratação de uma empresa de jardinagem ou um paisagista, profissional que projeta jardins compondo paisagens com plantas e outros elementos para fins decorativos, ou seja, ele busca harmonizar a construção com os elementos naturais, integrando-as às características ambientais e aproveitando recursos como vegetação, circulação de ar, luminosidade, entre outros.

VG3
Um jardim vertical não deixa só o ambiente bonito, como também proporciona benefício, entre eles: melhora a qualidade e umidade do ar, garante isolamento térmico (temperatura) e acústico (som), além de acomodar uma gama de espécies. O isolamento térmico se dá por uma característica chamada resfriamento evaporativo, pois as plantas perdem umidade em dias quentes, o que acaba por reduzir a temperatura, e retem o calor nos dias mais frios, contribuindo a favor da inércia térmica do ambiente.

VG6

VG5

Existem algumas maneiras para fazer um jardim vertical, entre elas:

Técnica de fibra de coco, que pode aparece junto com as plantas, pois é uma fibra natural e cria harmonia na decoração. Porém, como apodrece com o tempo, recomenda-se trocar essas fibras a cada dois anos – quando em ambientes ao ar livre – e a cada quatro e/ou cinco anos – quando em ambientes internos (dentro de casa, por exemplo);
Técnica quadro vivo, onde um quadro é fixado dentro de casa com parafusos e buchas em local bem iluminado. Toda a estrutura é vedada a fim de se evitar vazamentos e/ou umidade, podendo fazer rega manual ou por sistema computadorizado;

VG7
Técnica vasos meia-lua, que podem ser fixados na própria parede ou em treliças (conjunto de ripas de madeira cruzadas, usadas em portas, biombos etc. geralmente com fins ornamentais). A distribuição do vaso pela estrutura dependerá do gosto e do estilo de quem o estiver decorando. Caso opte por uma treliça metálica, ela precisa passar por um tratamento para resistir as intempéries. Nesse tipo de técnica também é possível usar fundos de garrafa PET como se fossem vasinhos, ótima opção econômica e, principalmente, pelo fato de reciclagem;
Usar blocos pré-moldados, que são instalados em muros impermeabilizados ou também sem apoio, uma vez que possuem passagem para passar vigas de sustentação. São utilizados como jardineira e vendidos em dois tipos: bloco de concreto socado, dispostos em ziguezague, e blocos de ferro fundido, dispostos em modo contínuo; usar blocos cerâmicos, que quando instalados um ao lado do outro, ficam com o vão central livre, possibilitando o preenchimento com substrato (nutriente para as plantas). Nesse caso, a tubulação de água é embutida e, dependendo do tamanho do jardim, pode ser regado por um sistema automático de gotejamento ou manualmente;
Técnica Wall Green, que é vendido em kits com sistema modular e consiste em peças para a montagem da estrutura leve e resistente, que chega a suportar dezoito plantas. Sua montagem é rápida e a instalação das plantas é fácil. Ainda permite aplicação de adubagem, fertilizantes líquidos com nutrientes, mantendo as plantas sempre saudáveis, e não transfere a umidade para a parede. Como seu formato modular lhe permite flexibilidade, é possível expandi-lo vertical ou horizontalmente. Ainda existem as técnicas painel vivo, quadro vivo e ecotelhado.

VG4

Faça o que for mais conveniente, mas não deixe de trazer o verde para perto de você, afinal espaço não é problema aqui.

VG8

VG9

Acha que este post pode ajudar alguém? Compartilhe com ele.

As opções para se chegar a uma bela decoração dependem de possuir recursos necessários, mas também pode ter excelentes resultados quando se envolve a criatividade e o senso estético. Algumas linhas de criação ajudam na decoração, como a simplicidade (com sua máxima tão difundida para diferentes áreas, “menos é mais”) .
Mas é através da combinação de elementos que se constrói uma boa composição para a decoração.

Com um viés mais “saudável” e também trazendo um aspecto mais natural para a ambiente está a combinação de décor e plantas. Mais do que um recurso, as plantas podem trazer, literalmente, vida para o imóvel, fazendo com que o formato e as cores tragam ainda mais movimento para o local.

in

in1

E mesmo para quem não conta com o fator “disponibilidade de tempo” para cuidar de plantas, não é difícil encontrar algumas espécies que precisam de menos água e atenção diária. 

in2

in3

in4

A melhor parte deste tipo de decoração é a quantidade de possibilidades. Assim como o grande número de opções existentes, as plantas também podem ser distribuídas de diferentes meios: sobre prateleiras, mesas, cômodas, ou ainda em minijardins, penduradas, e uma diversidade enorme e linda de vasos e cachepots.

in5

in7

in8

in9

in6

Acha que esse post pode inspirar alguém? Divida com ele também.